[There are no radio stations in the database]

    “CORPOS DE BAILE + TEU CORPO MEU ECO – CNB PRIMEIRA VEZ” 10 A 18 DEZEMBRO

    Written by on 08/12/2020

    Companhia Nacional de Bailado

    10 dezembro a 18 dezembro qua: 19h30; qui: 19h30; sex: 19h30

    Teatro Camões

    PRIMEIRA VEZ
    Duas novas criações.

    Dois Coreógrafos portugueses

    Marco da Silva Ferreira e Filipe Portugal coreografam pela Primeira Vez para a CNB num programa onde o coletivo é impulso para explorar a resiliência e a memória dos corpos que dançam.

    Marco da Silva Ferreira propõe-nos uma abordagem contemporânea de um corpo (coletivo) em (re)construção. Filipe Portugal, antigo primeiro bailarino da CNB, explora as memórias do seu percurso nos corpos dos bailarinos que agora as transformam.
    _________

    CORPOS DE BAILE
    Uma faísca percorre um rastilho até desaparecer ao fundo

    um percussionista segura as baquetas como se de um maestro se tratasse

    um bailarino fricciona a borracha dos ténis no linóleo.

    O chiar agudo acompanha o cheiro a queimado, o aquecimento do bailarino e o controlo do músico.

    Ready, Set, Go!

    Uma massa dançante evoca a imagem de Corpos de Baile que não sendo aleatória procura levantar o caos para se poder redefinir. Destroem-se e reconstroem-se momentos efémeros de encontro através da dança que são catalisadores de fenómenos. Aqui esses fenómenos são omitidos, e destaca-se a mestria do corpo, do seu potencial de plasticidade e de formação de um coletivo de resiliência associado a juventude, minoria, rebeldia e utopia.

    A composição coreográfica é acompanhada pela maestria rítmica de Valentina Magaletti, que ora soa a techno minimal ora soa a mantra.

    Marco da Silva Ferreira

    Coprodução Teatro Municipal do Porto

    Apoio à residência artística ICI — Centre Chorégraphique National Montpellier – Occitanie e Centre Chorégraphique National de Caen en Normandie

    _________

    TEU CORPO MEU ECO
    Quando voltamos a um lugar que nos é familiar, e que faz parte da nossa trajetória, somos sempre levados a olhar para trás.
    A invasão de memórias de um percurso que nos permitiu construir o presente revelam-se transformadas em novos significados, com maior ou menor intensidade, com novas perceções, conceções e perspetivas.

    Teu Corpo Meu Eco parte da reflexão sobre ideias, musicas e movimentos inscritos num percurso que, a partir de um processo de transformação, propõe outras leituras através da coreografia, da musica e dos figurinos, sobre essas mesmas ideias base sem que com isso se crie uma narrativa.

    Nesta oportunidade de regressar ao meu “local de partida” para criar um novo trabalho coreográfico viajo sobre as diferentes memórias que são parte do meu percurso profissional para, através dos intérpretes, explorar diferentes formas de transformação nas diferentes disciplinas inscritas na peça.