[There are no radio stations in the database]

    “BEIJA-ME COM OS BEIJOS DA TUA BOCA” NA BIBLIOTECA NACIONAL DE PORTUGAL

    Written by on 05/10/2020

    EXPOSIÇÃO BIBLIOGRÁFICA E ICONOGRÁFICA SOBRE O CÂNTICO DOS CÂNTICOS ABRIU COM TESOURO MUNDIAL. PATENTE ATÉ 30 NOVEMBRO.

    A Biblioteca Nacional de Portugal acolheu a exposição “Beija-me com os beijos da tua boca”, exposição bibliográfica e iconográfica sobre o Cântico dos Cânticos, poema bíblico celebrado como o mais belo poema de amor da humanidade e que tem vindo a marcar indelevelmente a cultura portuguesa. A mostra, a primeira realizada em Portugal sobre o tema, é constituída por mais de uma centena de obras pertencentes à vasta coleção privada do poeta Gonçalo Salvado sobre o Cântico dos Cânticos, grande influência da poesia deste autor. Nesta coleção privilegiam-se as obras em língua portuguesa editadas em Portugal e no Brasil, algumas de grande raridade e inacessibilidade.

    A mostra que abriu a 1 de Outubro de 2020 (das 16h às 18h) estará patente até 31 de Novembro do corrente ano numa das principais salas daquela instituição, conhecida como Sala Museu, espaço que permitirá reconstituir a atmosfera, e recriar o imaginário, do célebre poema bíblico do amor, e onde, a par da exposição bibliográfica, haverá uma vertente iconográfica reunindo imagens emblemáticas que lhe foram dedicadas em Portugal, na pintura, no desenho e na escultura, algumas pela primeira vez em exposição. Está previsto um ciclo de conferências sobre o Cântico dos Cânticos agendado para 2021, com o título: “Grava-me como um selo em teu coração” – O Cântico dos Cânticos, Paradigma Universal da Cultura Portuguesa”.


    De salientar a presença na mostra, em estreia mundial, da primeira tradução conhecida para a língua portuguesa do Cântico dos Cânticos, datada de 1606, da autoria de um jesuíta português, o Padre Manuel Correia SJ, assim como de uma pintura quase desconhecida, e datada dos finais do séc. XVII de Bento Coelho da Silveira (1617 – 1708), o único artista a ilustrar passos do Cântico dos Cânticos na Europa do seu tempo. Trata-se de um óleo s/madeira que ilustra o versículo 7, 11, do Cântico dos Cânticos: “Botrus cipri, dilectus meus mini in vineis Engadi” (“O meu amado é para mim como um cacho de alfena das vinhas de Engadi” (Cant. 1,14).
    Na pintura há ainda que realçar o óleo Sulamita de Lima de Freitas (1927-1998), nunca antes exposto. Na escultura, salienta-se, pela primeira vez em Exposição, a peça premiada no Salon de Paris (1884), Sulamita, um bronze da autoria da terceira duquesa de Palmela, Maria Luísa de Sousa Holstein (1841-1909). Na área da música o destaque vai para a pauta original que o compositor Fernando Lopes Graça (1906-1994) dedicou ao Cântico dos Cânticos, igualmente em estreia numa exposição.


    Cumpre ainda destacar a monumental edição do comentário ao Cântico dos Cânticos de Frei Luís de Sotomaior (1526-1610), datada de 1599, considerada um dos grandes momentos da edição em Portugal.
    De salientar igualmente que no dia da inauguração (e apenas nessa ocasião) esteve em exposição a chamada Bíblia de Cervera, texto bíblico manuscrito e iluminado, em pergaminho, do séc. XIII-XIV, que pertence ao acervo da Biblioteca Nacional destacando-se pela sua antiguidade e excelência, como a mais importante obra do género existente em Portugal, e uma das obras mais valiosas do mundo. Considerada uma obra-prima da arte medieval, está entre as mais antigas e importantes bíblias sefarditas (termo usado para referir os descendentes de judeus originários de Portugal e Espanha). Muito raramente exposta (foi peça central durante a exposição Medieval Jewish Art in Context no Museu Metropolitan de Nova Iorque em 2012), a sua presença nesta exposição confirma o valor histórico e o alto significado e importância da mostra.


    A exposição bibliográfica e iconográfica “Beija-me Com Os Beijos Da Tua Boca O Cântico dos Cânticos”, cuja primeira apresentação em 2017 ocorreu na Biblioteca Municipal de Castelo Branco, terá, em 2020, uma visibilidade maior na Biblioteca Nacional de Portugal, evidenciando a extraordinária presença no nosso País deste intemporal hino ao amor, documentada nessa mostra desde o século XV até à atualidade, quer no plano das versões e traduções, quer na poesia, no teatro e no ensaio.
    De lembrar que a primeira mostra desta exposição em Castelo Branco acompanhou o lançamento do livro de poesia de Gonçalo Salvado Cântico dos Cânticos, ilustrado com desenhos do escultor João Cutileiro (edição Bilingue Português/Hebraico) e prefaciado por Maria João Fernandes, poema do autor inspirado no poema bíblico, cuja segunda edição foi prefaciada por Fernando Guimarães e ilustrada por Francisco Simões.
    Atendendo ao valor que o Cântico dos Cânticos, universal Poema de Amor, representa para a cultura portuguesa, esta exposição constitui-se, por certo, como uma das mais relevantes do ano de 2020 em Portugal.

    “Beija-me com os Beijos da tua Boca”, Exposição Bibliográfica e Iconográfica, sobre a presença do Cântico dos Cânticos na cultura de língua portuguesa, a partir da Coleção do poeta Gonçalo Salvado. Biblioteca Nacional de Portugal. De 1 de Outubro a 30 de Novembro 2020.
    Biblioteca Nacional de Portugal. Campo Grande, 83.1749-081 Lisboa. Portugal.Tel. 21 798 20 00. bn@bnportugal.gov.pt