EM “LABORATÓRIO DE ESCRITA” QUATRO SUGESTÕES PARA ESCRITA LIVRO INFANTIL

Written by on 24/09/2020

escrever um livro infantil, coisas que não podem faltar num livro infantil

Uma boa história infantil depende de vários alicerces que, em conjunto, garantem o sucesso do livro junto dos mais pequenos. Não basta uma boa dose de imaginação, é necessário um trabalho prévio de caracterização de personagens e de estruturação de enredo. Acreditar que a história que escreveu para contar ao seu filho antes de dormir será um sucesso de vendas, poderá resultar numa enorme frustração. Todos os filhos adoram que os pais leiam para eles, mesmo que a ação não os cative especialmente.

Se quer escrever um livro infantil, saiba quais são as quatro coisas que não podem faltar na sua história.

1 – Um tema interessante

Já escrevemos, noutros artigos, sobre o facto de estarmos rodeados de histórias e de como é importante observar e questionar o mundo. Quando procuramos um tema para um livro infantil o processo é o mesmo, no entanto devemos focar a nossa atenção nos temas que interessam à faixa etária do nosso leitor-alvo. O leque de opções é variado: do desporto aos animais, da interação escolar aos medos, o importante é adicionar uma quantidade generosa de imaginação.

2 – Um protagonista que crie empatia com o leitor

O herói, a personagem central da história, pode ser uma criança, um animal, um extraterrestre, ou qualquer outra que a sua criatividade mandar. Se escolher uma criança, o ideal é que tenha a mesma idade das crianças que definiu como público-alvo.
Não dê demasiados detalhes sobre o seu protagonista, isto é, não liste todas as características físicas e psicológicas. Se o herói é teimoso – algo com que muitas crianças se identificarão -, mostre isso ao longo da história. Valerá a pena mencionar, por exemplo, características físicas únicas como uma cabeleira ruiva ou uma cicatriz, mas não mais que isso. Lembre-se de que os livros infantis têm um número de palavras bastante limitado e as crianças têm o superpoder de criar uma imagem do herói, mesmo que lhes dê poucos detalhes.
Restrinja o livro a uma personagem principal e a uma ou duas secundárias. Os seus pequenos leitores estão, muitas vezes, a aprender a ler ou a familiarizar-se com os livros, por isso introduzir ações de várias personagens pode tornar a história confusa.

3 – Um problema para resolver

Uma boa história constrói-se em torno das tentativas de resolução de um problema do protagonista. Dê um desejo ao seu herói, e um problema que surgirá como oposição à realização desse desejo, mas tenha em conta que uma história em que tudo se resolve na primeira tentativa será uma história demasiado curta. Aposte no número três. Faça com que a solução encontrada para o primeiro obstáculo gere um segundo obstáculo, e a solução encontrada para o segundo obstáculo gere um terceiro. A solução deste último deverá resolver o problema inicial e culminar no desfecho da história.

4 – Um final feliz

Um final infeliz num livro infantil não trará nada de construtivo aos seus leitores. Para as crianças, um final feliz é um desfecho satisfatório, aquele em que o herói consegue solucionar o seu problema sozinho. Porquê sozinho? Porque se a sua personagem foi bem construída o leitor vai identificar-se com ela, e se o herói conseguir resolver o problema sem a ajuda dos pais, por exemplo, a história dar-lhe-á o sentimento de independência que muitas crianças almejam. A exceção acontece quando o leitor-alvo pertence a uma faixa etária em que ainda é completamente dependente dos adultos, nesse caso poderá recorrer ao auxílio de um dos pais ou de outra personagem criada para o efeito.

Lembre-se ainda de que a história deve ter um propósito, mas não a torne demasiado didática. A leitura deve ser um momento lúdico, não um apêndice do programa escolar.

www.laboratoriodeescrita.com


Current track

Title

Artist