Current track

Title

Artist

Current show

NTR BY WEEKEND

03:30 21:30

Background

“ODES INTRÍNSECAS” CÉLIA TELES FERREIRA

Written by on 05/08/2019

CHANCELA EMPORIUM EDITORA

“ODES Intrínsecas” é uma obra onde a fusão entre estados de espírito, inspiração poética e a auto-ajuda se manifestam de forma cadenciada. Nestas páginas encontra várias mensagens de esperança, vários motivos para acreditar que o bem existe, triunfa sobre o mal e nos rodeia em todos os momentos da nossa vida. É uma obra reconfortante propositadamente para tocar a alma e o coração, incitando à fé, à bondade, à paz e principalmente ao amor em todos os seus formatos. Convido o leitor a deleitar-se numa viagem de palavras que por si só preenchem o sonho para um novo estado de Alma e para um mundo melhor.

Célia Teles Ferreira

Célia Teles Ferreira

nasceu em Lourenço Marques, Moçambique, a 29 de Março de 1970. Vem para Portugal em Dezembro de 1974 e desde cedo, denota o seu jeito para o mundo das artes. Após concluir o secundário, na E.S. Cidade Universitária em Lisboa, ingressa no I.A.D.E, onde conclui em 1992 o curso superior de Design, na vertente Moda. No mesmo ano e até 2003 exerce funções de front-office na Banca. Paralelamente em 2003 começa a fazer trabalhos de publicidade e participações em ficção na TV, até hoje. O espírito artístico fala ainda mais alto e começa desde 2017 a dedicar-se à escrita, nomeadamente poesia. Cria a página de poesia ODES Intrínsecas de Célia Teles Ferreira em Julho de 2018. Foi convidada de honra pela Rádio Voz de Alenquer, para o programa “Livro Aberto” promovido pelos escritores Ana Coelho e Vítor Costeira – Março de 2019 Participou na 2ª Maratona de Poesia de Alenquer, na Biblioteca Municipal de Alenquer – Março de 2019 Participou no 2º Encontro Nacional de Poetas e Escritores da Gerábriga- Assoc. Cultural no Museu João Mário, em Alenquer – Abril 2019 Co-autora na Coletânea Livro Aberto 2019, promovido pela Rádio Voz de Alenquer – Maio de 2019 Participa em várias tertúlias e saraus poéticos.

Nunca deixes de ser quem és


Nunca deixes de ser quem és
Caia o céu ou venham tempestades
Não precisas ter o mundo a teus pés
Nem dizeres todas as verdades


Nunca deixes de ser quem és
Queira alguém cortar-te os sonhos
Queira enganar-te
Ou deitar-te areia nos olhos


Nunca deixes de ser quem és
Sê sempre digno e de coração aberto
Abraça o mundo
Vais sentir a vida mais de perto


Nunca deixes de ser quem és
Desbrava caminhos, atravessa rios
Sobe altas montanhas
Rasga os lugares mais frios


Nunca deixes de ser quem és
Acredita no teu ser uno e puro
A tua missão é digna e sagrada
Não pode nem deve ser abandonada


Nunca deixes de ser quem és!