Current track

Title

Artist

Current show

Background

CONCERTO SOLIDÁRIO – ORQUESTRA SINFÓNICA PORTO – CASA DA MÚSICA

Written by on 11/07/2019

PROMOTOR

Liga Portuguesa Contra o Cancro

CONCERTO SOLIDÁRIO DA LIGA PORTUGUESA CONTRA O CANCRO-NRN 
ORQUESTRA SINFÓNICA DO PORTO CASA DA MÚSICA
Baldur Brönnimann (direcção musical)

A Liga Portuguesa Contra o Cancro – Núcleo Regional do Norte vai realizar o Concerto Solidário da Orquestra Sinfónica do Porto Casa da Música, na Sala Suggia da Casa da Música do Porto, no dia 12 de julho de 2019, pelas 21.00 horas. 
O espetáculo é para maiores de 6 anos e os preços dos bilhetes são de 25, para as 1ª e 2ª plateias (da fila A à fila U) e de 20 para a 3ª plateia (da fila UU à fila ZZ) e podem ser adquiridos na Casa da Música, na Liga Portuguesa Contra o Cancro-NRN (Porto), em BOL.PT e nos locais habituais.
A receita de bilheteira reverterá a favor da Liga Portuguesa Contra o Cancro-NRN.

PROGRAMA

Dmitri Chostakovitch Abertura Festiva, op. 96
L. Freitas Branco Fandango, da Suite Alentejana nº 1
Edward Elgar Salut DAmour 
Edvard Grieg Manhã, da Suite Peer Gynt
Paul Dukas O Aprendiz de Feiticeiro
John Philip de Sousa The Liberty Bell March 
Samuel Barber Adagio 
John Williams Flying Theme do filme E.T. 
Árturo Marquez Danzón nº 2
Gerónimo Gimenez Intermezzo de La Boda de Luis Alonso

A origem da Orquestra remonta a 1947, ano em que foi constituída a Orquestra Sinfónica do Conservatório de Música do Porto, que desde então passou por diversas designações. 

A Orquestra Sinfónica do Porto Casa da Música tem sido dirigida por reputados maestros, de entre os quais se destacam Stefan Blunier, Olari Elts, Peter Eötvös, Heinz Holliger, Elihau Inbal, Michail Jurowski, Christoph König (maestro titular no período 2009-2014), Reinbert de Leeuw, Andris Nelsons, Vasily Petrenko, Emilio Pomàrico, Peter Rundel, Michael Sanderling, Vassily Sinaisky, Tugan Sokhiev, John Storgårds, Joseph Swensen, Ilan Volkov, Antoni Wit, Christian Zacharias e Lothar Zagrosek. Entre os solistas que têm colaborado com a orquestra constam os nomes de Pierre-Laurent Aimard, Jean-Efflam Bavouzet, Pedro Burmester, Joyce Didonato, Alban Gerhardt, Natalia Gutman, Viviane Hagner, Alina Ibragimova, Steven Isserlis, Kim Kashkashian, Christian Lindberg, Tasmin Little, Felicity Lott, António Meneses, Midori, Truls Mørk, Kristine Opolais, Lise de la Salle, Benjamin Schmid, Simon Trpeski, Thomas Zehetmair, Frank Peter Zimmermann ou o Quarteto Arditti. Diversos compositores trabalharam também com a orquestra, no âmbito das suas residências artísticas na Casa da Música, destacando-se os nomes de Emmanuel Nunes, Jonathan Harvey, Kaija Saariaho, Magnus Lind¬berg, Pascal Dusapin, Luca Francesconi, Unsuk Chin, Peter Eötvös, Helmut Lachenmann, Georges Aperghis, Heinz Holliger, Harrison Birtwistle e Georg Friedrich Haas, a que se junta em 2019 o compositor Jörg Widmann.

A Orquestra tem-se apresentado também nas mais prestigiadas salas de concerto de Viena, Estrasburgo, Luxemburgo, Antuérpia, Roterdão, Valladolid, Madrid, Santiago de Compostela e Brasil, e ainda no Auditório Gulbenkian.

As temporadas recentes da Orquestra foram marcadas pela interpretação das integrais das Sinfonias de Mahler, Prokofieff, Brahms e Bruckner; dos Concertos para piano e orquestra de Beethoven e Rachmaninoff; e dos Concertos para violino e orquestra de Mozart. Em 2011, o álbum Follow the Songlines ganhou a categoria de Jazz dos prestigiados prémios Victoires de la musique, em França. Em 2013 foram editados os concertos para piano de Lopes-Graça, pela Naxos, e o disco com obras de Pascal Dusapin foi Escolha dos Críticos na revista Gramophone. Nos últimos anos surgiram os CDs monográficos de Luca Francesconi (2014), Unsuk Chin (2015) e Georges Aperghis (2017), além de discos dedicados a obras de compositores portugueses, todos com gravações ao vivo na Casa da Música. Na temporada de 2019, a Orquestra apresenta obras-chave do Novo Mundo entre as quais Amériques de Edgard Varèse e a Quarta Sinfonia de Charles Ives , a Integral das Sinfonias de Tchaikovski, as sonoridades revolucionárias de Ligeti e novas obras de Jörg Widmann, Pedro Amaral e Clotilde Rosa.

A origem da Orquestra remonta a 1947, ano em que foi constituída a Orquestra Sinfónica do Conservatório de Música do Porto, que desde então passou por diversas designações. Engloba um número permanente de 94 instrumentistas, o que lhe permite executar todo o repertório sinfónico desde o Classicismo ao Século XXI. É parte integrante da Fundação Casa da Música desde Julho de 2006.

(via: casadamusica)