Current track

Title

Artist

Background

EMISSÃO ESPECIAL “AS CORES DOS AUTORES” 22 JUNHO 16:30/18:30H – P.E.N. CLUBE PORTUGUÊS – INAUGURAÇÃO LEITURAS PÚBLICAS.

Written by on 20/06/2019

NTR – Network Radio # Rádio oficial do P.E.N. Clube Português

22 JUNHO EMISSÃO ESPECIAL “AS CORES DOS AUTORES” 16:30/18:30H – P.E.N. CLUBE PORTUGUÊS – INAUGURAÇÃO LEITURAS PÚBLICAS.

Nova vida no PEN, porque na leitura também. A Literatura não engana a memória. Se o Escritor não pode fugir de si próprio, o PEN também não. A NTR – Network Radio, agradece penhoradamente à Direcção do PEN Clube Português, na pessoa da sua Presidente Prof. Teresa Martins Marques, a honra de poder participar, gravando as LEITURAS PÚBLICAS PEN, dando côr à memória dos Autores, em POESIA, ENSAIO e NARRATIVA.

NOVOS ÓRGÃOS SOCIAIS ELEITOS EM FEVEREIRO DE 2019
Mesa da Assembleia Geral:
Ernesto Rodrigues (Presidente)
Nuno Camarneiro (1º Secretário)
Fernando Venâncio (2º Secretário)

Direcção: 
Teresa Martins Marques (Presidente)
José Viale Moutinho (Vice-Presidente e Tesoureiro)
Paulo José Miranda (Secretário)
Fernando Pinto do Amaral (Vogal)
João Rasteiro (Vogal)
Francisco Belard (Suplente)
Inês Lourenço (Suplente)

Conselho Fiscal: 
Cristina Carvalho (Presidente)
Rui Miguel Mesquita (Vogal)
Carlos Nogueira Fino (Vogal)
Ana Paula Coutinho (Suplente)
Victor Oliveira Mateus (Suplente)

UM PEN COM NOVA DINÂMICA – Teresa Martins Marques

Os novos corpos sociais do PEN, eleitos em 13 de Fevereiro, apresentaram um programa de verdadeira mudança no PEN. Em 2019 completam-se 40 anos desde a realização da escritura pública de fundação do PEN e 45 anos desde o seu reconhecimento no Congresso do PEN Internacional em Israel, em 1974. Temos de reforçar a sua dinâmica, para além da atribuição dos prémios anuais, cuja exigência de qualidade deve manter-se, promovendo a diversidade dos júris. 
Queremos fazer uma Jornada Comemorativa, com edição de um volume de textos e várias sessões de Leituras Públicas em livrarias, bibliotecas, escolas nas quais os escritores apresentarão o conjunto da sua Obra e farão leituras. Esta é uma prática corrente no resto da Europa e nos Estados Unidos e que estranhamente não tem sido feita entre nós.
As primeiras Leituras Públicas serão realizadas em Maio e contam com a presença de um escritor representativo de cada letra do PEN: o Poeta Luis Filipe de Castro Mendes, o Ensaísta Manuel Frias Martins e a Narradora Teolinda Gersão.
Queremos descentralizar as actividades do PEN. Temos nos corpos sociais representantes de Lisboa, Porto, Coimbra, Madeira e estamos a criar um núcleo nos Açores. 
O PEN tem de passar da dimensão elitista de Clube para a dimensão dinâmica de Centro. Estamos a dirigir novos convites a personalidades importantes da nossa vida literária e cultural, mas também a escritores mais novos a quem temos de passar o testemunho.
Queremos realizar tarefas de pesquisa sobre a História do PEN em Portugal, desde as tentativas goradas da sua criação, durante a ditadura. 
Se tivermos o necessário apoio financeiro, por parte do Ministério da Cultura, para o conjunto das nossas actividades, no plano internacional, participaremos nos Congressos dos quatro Comités do PEN International: Escritores na Prisão, Escritores para a Paz, Tradução e Direitos Linguísticos e Mulheres Escritoras. 
O PEN tem tomado posição e partilhado os apelos do PEN Internacional para a libertação e/ou não perseguição de escritores e jornalistas em numerosos países. Teresa Salema foi duas vezes eleita vice-presidente do Comité da Paz. Apresentou cinco resoluções sobre a língua portuguesa à Assembleia Geral do PEN Internacional, sempre aprovadas por unanimidade. A nossa posição é a defesa da língua portuguesa, em pleno respeito pela especificidade de todas as suas variantes, não esquecendo a língua mirandesa.
Continuaremos o diálogo com o PEN de países lusófonos. Demos apoio aos escritores da Guiné e de Cabo Verde, cujos Centros foram aprovados em 2018 na Assembleia Geral do PEN Internacional, na Índia. Na celebração do bicentenário da independência do Brasil, em 2022, estaremos disponíveis a colaborar com o PEN Clube do Brasil, praticando e defendendo a liberdade de expressão, porque a literatura não conhece fronteiras e deverá manter-se como o legado comum de todos os povos.

“LEITURAS PÚBLICAS PEN” 30 MAIO LIVRARIA FERIN LISBOA.

PEN CLUBE PORTUGUÊS FAZ 40 ANOS
A 26 de Maio de 1979, foi publicada, no Diário da República (III Série , nº 121) a certificação da escritura pública, realizada no 1º Cartório Notarial de Lisboa, em 26 de Dezembro de 1978, assinada por Anna Haterly, Pedro Tamen, Fernando Namora e Ernesto Mello e Castro.

Comemorando esta data, realizou-se dia 30 Maio, na Livraria Ferin, Lisboa, a inauguração das LEITURAS PÚBLICAS PEN, com Teolinda Gersão, Luis Filipe de Castro Mendes e Manuel Frias Martins.

1 – História do PEN Clube Português.

Em 15 de Novembro de 1974, 24 escritores propuseram ao PEN INTERNATIONAL a criação de um Centro PEN em Portugal, o qual foi aceite no 39º Congresso internacional, realizado em Israel, nesse mesmo ano:
Por ordem da assinatura da carta:
José Gomes Ferreira
Maria Velho da Costa
Maria Amélia Neto
Manuel Ferreira
Casimiro de Brito
Pedro Tamen, 
Vergílio Ferreira, 
Ana Hatherly
Salette Tavares
José Cardoso Pires
José Palla e Carmo
Eugénio de Andrade
Fernanda Botelho
Fernando Namora
Jacinto do Prado Coelho
E.M. de Melo e Castro
Sophia de Mello Breyner Andresen
Urbano Tavares Rodrigues
Maria Judite de Carvalho
Bernardo Santareno
Paulo Quintela
Óscar Lopes
Miguel Torga
Manuel Alegre.

2 – Primeiros corpos gerentes do PEN.

Em 24 de Janeiro de 1979 foram eleitos os seguintes corpos gerentes: 
ASSEMBLEIA GERAL
Presidente- Pedro Tamen
1º Secretário- Melo e Castro
2º Secretário- Saudade Cortesão Mendes
DIRECÇÃO
Presidente- Almeida Faria
Vice-presidentes- Ana Hatherly e Casimiro de Brito
CONSELHO FISCAL
José Palla e Carmo e Manuel Ferreira

CARTA INTERNACIONAL DO PEN
O P.E.N. Clube é a maior e a mais importante organização mundial de escritores
empenhada na defesa da liberdade de expressão, bem como de direitos e valores
humanistas.
Os seus princípios estão consagrados na Carta Internacional do P.E.N., e são os
seguintes:
1. A Literatura não conhece fronteiras e deverá manter-se como o legado comum de todos
os povos, independentemente de quaisquer convulsões políticas ou internacionais.
2. Em todas as circunstâncias, e particularmente em tempo de guerra, as obras de arte –
que são património da humanidade em geral – não poderão ser afectadas por paixões
políticas ou nacionais.
3. Aos membros do P.E.N. cabe sempre usarem a influência que tiverem em benefício da
boa compreensão e respeito mútuo entre as nações e as pessoas; eles comprometem-se
a fazer tudo o que puderem para banir todas as formas de ódio e a serem paladinos do
ideal de uma humanidade a viver num mundo em paz e igualdade.
4. O P.E.N. defende o princípio da livre transmissão do pensamento dentro de cada nação
e entre todas as nações. Os seus membros comprometem-se a combater toda e qualquer
forma de atentado à liberdade de expressão no país e na comunidade a que pertencem,
bem como no mundo, onde quer que isso seja possível. O P.E.N. defende uma imprensa
livre e opõe-se à censura arbitrária em tempo de paz. Acredita que o necessário avanço do
mundo em direcção a uma ordem política e económica mais elevada, torna imperativo o
exercício da crítica a governos, administrações e instituições. E dado que a liberdade
implica auto-restrição, os membros do P.E.N. comprometem-se a fazer oposição a tais
males na imprensa livre, como a divulgação de mentiras, falsidades deliberadas e
distorção de factos para fins políticos e pessoais.

PEN CLUBE PORTUGUÊS
Como ser sócio do PEN?

Segundo o artigo 3º dos Estatutos, os sócios são admitidos por iniciativa da direcção (isto é, por convite) ou sob proposta de 20 sócios, no pleno uso dos seus direitos.