Current track

Title

Artist

Background

“GISBERTA” COM INTERPRETAÇÃO DE LUÍS LOBIANCO NO TEATRO TIVOLI BBVA.

Written by on 02/12/2018

GISBERTA – LUÍS LOBIANCO

 

Política, história, humor, poesia e ficção juntam-se em Gisberta, a história da vítima brasileira de transfobia, assassinada no Porto, em 2006. A partir de relatos pessoais da família, da consulta do processo judicial e de visitas ao local do crime, o texto de Gisberta tem presentes as diferentes personagens que construíram a história.

Com interpretação única de Luis Lobianco, Gisberta é uma narrativa de grande sensibilidade, onde o humor característico de Gisberta se cruza com o drama vivido na morte.

Idealizado pelo ator Luis Lobianco (Porta dos Fundos e Segundo Sol), com direção de produção de Claudia Marques, texto de Rafael Souza-Ribeiro e direção de Renato Carrera, o espetáculo “Gisberta” conta a história da brasileira vítima de transfobia que morreu tragicamente na cidade do Porto, em 2006.  No dia 5, após a sessão, será promovida uma conversa aberta entre o público e um painel de oradores sobre “Aspectos de Género na Arte”, moderada por Alice Azevedo (Atriz e ativista TransFeminista e Queer) e com as participações de Luis Lobianco, Rafael Souza-Ribeiro, Daniela Filipe Bento (membro da direção da ILGA Portugal), Júlia Mendes Pereira (co-fundadora e co-diretora da organização não-governamental Ação Pela Identidade) e Matias Braga (Oficinas Drag King e Tradutor).

O tema “Balada da Gisberta”, escrito por Pedro Abrunhosa para o álbum “Luz” (2007), editado por Maria Bethânia no álbum ao vivo de 2011, inspirou Luis Lobianco a procurar mais sobre esta mulher e criar uma obra capaz de fundir política, história, música, teatro, humor, poesia e ficção. Todos os aspetos da sua vida são abordados de forma ora poética, ora contundente, ora documental, sendo muitos ainda inéditos para o grande público português. Trazer “Gisberta” a Portugal é também ampliar a sua existência e manter içada a bandeira da tolerância.

O espectáculo é uma jornada pela vida de Gisberta Salce Junior, desde a infância e adolescência, vividas em São Paulo, no Brasil, com a sua família, até à decisiva mudança para Portugal, país que abraçou enquanto novo lar, tornando-se conhecida pela ascensão meteórica nas noites do Porto, onde protagonizava espetáculos transformistas. Mudou-se aos 20 anos, num momento em que escalava uma vaga de homicídios a transexuais na sua cidade-natal. Foi encontrada morta no Porto, 25 anos mais tarde, após ter sido torturada por um grupo de 14 jovens menores de idade.

 

Teatro Tivoli BBVA, a 5 e 6 de dezembro.

 

 

(via: teatrotivolibbva)