Current track

Title

Artist

Current show

Background

LISTA DE FINALISTAS PRÉMIOS PEN CLUBE COM SEIS OBRAS COM CHANCELA “RELÓGIO D´ÁGUA”.

Written by on 07/11/2018

Prémios para Autores e Tradutores da Relógio D’Água.

A lista de finalistas dos Prémios PEN Clube contou com seis obras editadas pela Relógio D’Água.

Com o romance “Descrição Guerreira e Amorosa da Cidade de Lisboa”, Alexandre Andrade venceu o Prémio PEN Clube de narrativa 2017, que na categoria de ensaio foi atribuído à filósofa Maria Filomena Molder, por “Dia Alegre, Dia Pensante, Dias Fatais”. António Cabrita venceu na categoria de poesia com “Anatomia Comparada dos Animais Selvagens”.Ana Margarida de Carvalho venceu por unanimidade o Grande Prémio de Conto Camilo Castelo Branco com o livro “Pequenos Delírios Domésticos”.


O júri declarou: «Trata-se de um conjunto de contos que surpreende o leitor pela invulgar actualidade temática e sociológica (dos incêndios que devastaram o país, em 2017, aos dramas íntimos de portugueses convertidos ao estado islâmico, de refugiados sírios num lar de velhos ou de uma mulher tunisina que dá à luz num barco apinhado de gente durante a travessia do Mediterrâneo, entre outros), aliadas a um notável trabalho de precisão e depuramento da palavra e, acima de tudo, a um olhar atento aos dramas humanos, independentemente do lugar mais ou menos doméstico que lhes serve de palco.»
H. G. Cancela com “As Pessoas do Drama”, que recebeu o Grande Prémio de Romance e Novela da APE 2017, é um dos três finalistas portugueses do Prémio Oceanos. Os outros são Luís Quintais, com “A Noite Imóvel”, e Bruno Vieira Amaral, com “Hoje Estarás Comigo no Paraíso”.
Ana Teresa Pereira venceu o Prémio Oceanos do ano passado, com o romance “Karen”, editado na Relógio D’Água.

António Pescada venceu o Grande Prémio de Tradução Literária pelas traduções de “O Duplo”, de Fiódor Dostoievski, publicado pela Relógio D’Água, e por “O Arquipélago Gulag”, de Aleksandr Soljenítsin, saído na Sextante.
Uma das três menções honrosas foi atribuída a Tiago Nabais, que traduziu a partir do original a obra “Crónica de Um Vendedor de Sangue”, do escritor chinês Yu Hua.

(via: dn)