Current track

Title

Artist

Current show

 

Background

“5.ª EDIÇÃO DO FESTIVAL OLHARES DO MEDITERRÂNEO – CINEMA NO FEMININO” DE 27 A 30 SETEMBRO NO CINEMA S. JORGE.

Written by on 26/09/2018

Festival Olhares do Mediterrâneo

   
São várias as realizadoras e elementos das equipas criativas que vão marcar presença na 5ª edição do Festival Olhares do Mediterrâneo – Cinema no Feminino, que se realiza no Cinema São Jorge, em Lisboa, de 27 a 30 de setembro. O festival, que tem como objectivo exibir filmes nos quais mulheres dos países do Mediterrâneo tenham tido um papel fundamental na equipa criativa, vai contar com a presença de 11 realizadoras e vários atores, produtores e distribuidores em Lisboa. São cerca de 50 filmes que integram as várias secções deste festival que coloca não só a mulher num papel central, tais como a secção Competição Geral; a secção competitiva Travessias, que exibe filmes sobre migrações e histórias sobre êxodos; e a secção Começar a Olhar, dedicada a filmes feitos em contexto escolar. A cerimónia de abertura acontece a 27 de setembro com “Figlia Mia”, de Laura Bispuri, longa-metragem em competição, que nos conta a história de uma menina de 10 anos na Sardenha, dividida entre duas mães. Esta é uma estreia nacional, depois do filme ter estado em competição em festivais como Berlinale, Sydney Film Festival ou o Hong Kong International Film Festival. Neste último, o filme venceu o prémio do júri na categoria “Young Cinema Competition”. A esta juntam-se mais cinco longas, todas estreias nacionais e algumas internacionais, de origens tão diversas como Espanha, Turquia, França, Itália ou México: “Fields of Anger”, documentário de Anne Gintzburger, narrado por Catherine Deneuve, que dá conta da crise agrícola na Normandia e na Bretanha; os premiados documentários “Improsioned Lullaby”, de Rossella Schillaci e “Rush Hour”, de Luciana Kaplan“Analysis of Blue Blood”, de Bianca Torres e Gabriel Velázquez; e “My Short Words”  da dupla turca combinando realização e produção Büşra Bülbül e Bekir Bülbül. Entre os filmes portugueses seleccionados destaca-se a presença das realizadoras Francisca Marvão e Tatiana Saavedra com a curta de ficção “O Descanso na Intensidade das Cores”, uma co-produção de Portugal e Roménia, filme que estreou na última edição do DocLisboa. Na área da animação, vão estar presentes Catarina Sobral com a sua curta de animação “A Razão entre Dois Volumes”, Joana Imaginário com o seu mais recente filme “Tocadora”, que já recebeu inúmeros prémios, entre eles o Prémio Nacional de Animação, e Daniela Fortuna com “Habitado”, filme premiado com Menção Honrosa no Festival Luso-Brasileiro de Santa Maria da Feira. Paralelamente decorrerão exposições como a “Campos de Batalha” de Ana Mafalda Reis e Jean-François, e a exposição de fotografia “Instantâneos Mediterrânicos, um Tríptico Grego” de Eleni Kalamara e Aristea Sapera. Carlos Natálio, Mariana Galvão e Ana Borges constituem o júri do prémio da Melhor Longa-metragem, enquanto que o júri do prémio de Melhor Curta-metragem é constituído por Jorge Carvalho, Mariana Liz Salette Ramalho.

Competição Geral Análisis de Sangre Azul, de Blanca Torres e Gabriel Velázquez Benim Kucuk Sozlerim, de Büşra Bülbül e Bekir Bülbül Figlia Mia, de Laura Bispuri Les Champs de La Colère, de Anne Gintzburger Ninna Nanna Prigioniera, de Rossella Schillaci Rush Hour, de Luciana Kaplan Ain’t That Right, de Patricia Delso Lucas Areka, de Atxur Animazio Taldea (colectivo) Assia, de Zaire Malika Barke Lyon, de Nadine Asmar Boldol, de Khedija Lemkecher Debout Kinshasa!, de Sébastien Maitre Dynamique et Motivé, de Malou Lévêque El Color de la Sed, de Gala Gracia El Mar Inmóvil, de Macu Machín Grass, de Filipa Amaro Habitado, de Daniela Fortuna Il était une fois mon prince viedra, de Lola Naymark Laissez moi Danser, de Valérie Leroy Même pas mal, Petit Animal, de Juliette Kempf Marlon, de Jessica Palud Negah, de Farnoosh Samadi O Descanso na intensidade das cores, de Francisca Marvão e Tatiana Saavedra Odd é um Ovo, de Krisin Ulseth Peggie, de Rosario Capezzolo Razão entre dois volumes, de Catarina Sobral Things Stay for a While, de Bryony Dunne Tocadora, de Joana Imaginário Tresjne, de Dubravka Turic

Travessias Avant la fin de l’été, de Maryam Goormaghtigh Mr Gay Syria, de Ayse Toprak Son of Sofia, de Elina Psikou Apia, de Myrsini Aristidou Birds, de Louisa S Beskri El Hijo de Fàtima, de Carlotta Piccinini Irioweniasi. El Hilo de la Luna, de Esperanza Jorge e Inmaculada Antolínez Layla Hasar Shahar, de Sara Bozakov Like Salt, de Darine Hotait Memory of the land, de Samira Badran My Kaaba is Human, de Sinem Tas

Começar a Olhar (Filmes Escola) Contorsions, de Merem Wakrim e Isidora Torrealba Event Horizon, de Joséfa Celestin Hostia con Hache, de María Álvarez Laínz Les Démantlai, de Reem Samarani Paranoja Paranoje, de Katarina Jukic Pesar, de Madalena Rebelo Selgie(sh), de Ekaterina Volkona The Dot Under The Letter BA’, de Hana Elrakhawi Twin Islands, de Manon Sailly, Charlotte Sarfati, Christine Jaudoin, Lara Chochetel, Fanny Teisson, Raphael Huot

ABERTURA OFICIAL DA 5.ª EDIÇÃO DO FESTIVAL OLHARES DO MEDITERRÂNEO – CINEMA NO FEMININO Exibição do filme “Figlia Mia / Daughter of Mine” Laura Bispuri Itália, Alemanha, Suíça | fic | 2018 | 100’ ENTRADA LIVRE Sardenha. Vittoria, uma menina de 10 anos, está dividida entre duas mães. Tina, que a criou com amor e dedicação, e Angelica, uma jovem marginal, que inesperadamente a reclama. Uma história de maternidade imperfeita e laços inextricáveis, sentimentos esmagadores e feridas antigas, que marcam o crescimento de Vittoria, num Verão de medos, perguntas, descobertas e mudança.   (via: cinema7arte, egeac)
Tagged as