Current track
Title
Artist

Current show

QImusIQ

00:30 02:30

Background

“VOICE OF LOVE” CONCERTO SOLIDÁRIO NO SALÃO PRETO E PRATA DO CASINO DO ESTORIL 14 JUNHO 21.30H

Written by on 13/06/2018

VOICE OF LOVE, CONCERTO SOLIDÁRIO – David D’Or, Gisela João e Orquestra Sinfónica da Guarda Nacional Republicana.

 

 

O Salão Preto e Prata do Casino Estoril recebe no dia 14 de junho, às 21h30, um concerto solidário a favor das vítimas dos incêndios de Pampilhosa da Serra. David D’Or, cantor israelita, convidou a fadista Gisela João e a Orquestra Sinfónica da Guarda Nacional Republicana para dar voz a esta causa.
O evento resulta de uma parceria estabelecida entre a Câmara Municipal de Cascais e a Embaixada de Israel que, por ocasião das comemorações dos 70 anos da criação do Estado de Israel, pretende apoiar as populações que foram afetadas pela catástrofe.
A angariação de fundos será entregue, na totalidade, às populações afetadas pelos incêndios no Concelho de Pampilhosa da Serra.

A iniciativa conta com o apoio da Associação de Turismo de Cascais e da Estoril Sol SA.

David D’Or (em hebraico : דוד ד’אור ; David Nehaisi , nascido em 2 de outubro de 1965) é um cantor, compositor e compositor israelense . Um contratenor com um alcance vocal de mais de quatro oitavas , ele é três vezes vencedor do prémio “Singer of the Year” de Israel e “Melhor Vocal Performer”. Ele também foi escolhido para representar Israel no Festival Eurovisão da Canção de 2004 , no qual ficou em 11º na semifinal. Em fevereiro de 2008, nove de seus álbuns foram de platina. D’Or interpreta uma grande variedade de músicas, incluindo pop , rock , dança , folk , klezmer , orações iemenitas , música sagrada, cantos antigos, ópera clássica e árias barrocas (no original italiano).

 

 

Gisela começou a interessar-se pelo Fado com oito anos. Aos 16/17 anos de idade foi cantar para a “Adega Lusitana”, em Barcelos. Em 2000 mudou-se para o Porto para estudar Design, onde rapidamente começou a cantar em mais uma casa de Fado. Viveu durante seis anos no Porto para, finalmente, o canto impor a sua vontade e a levar para Lisboa. Em 2009 gravou um álbum com o grupo Atlantihda. É um dos nomes convidados no disco de Fernando Alvim, histórico guitarrista português e “cúmplice” de Carlos Paredes, intitulado “O Fado E As Canções do Alvim” (2011). Participou como Fadista no filme “O Grande Kilapy” (2012).

Numa pequena casa “emprestada” na Mouraria debateu-se com o peso imenso da solidão, pensou várias vezes em desistir, mas resistiu. Conquistou primeiro meia Lisboa e depois Lisboa inteira, das Casas de Fado à mítica discoteca Lux e do Pequeno Auditório do Centro Cultural de Belém ao Teatro São Luiz. Tal ascensão levou-a a ser considerada uma das maiores revelações do fado no feminino dos últimos anos para o jornalista António Pires. Faltava gravar um disco, esse grande desafio. E encontrou em Frederico Pereira o cúmplice ideal e iniciaram as gravações.

 

(via: Radio Ideias, Infocul, coolture)