Current track
Title
Artist

Current show

Background

“ABSINTO, ÓPIO, TABACO E OUTROS FUMOS” – PRIMEIRO LIVRO DA COLECÇÃO «OS LIVROS DE FERNANDO PESSOA».

Written by on 08/04/2018

Já disponível o primeiro livro da colecção «Os Livros de Fernando Pessoa», ‘Absinto, Ópio, Tabaco e Outros Fumos’, antologia organizada por Manuel S. Fonseca, com chancela  GUERRA E PAZ.

«Absinto, Ópio, Tabaco e Outros Fumos, uma antologia alvarinha e desassossegada, nasceu da vontade de ter Fernando Pessoa no meio de nós, leitores comuns. Nasceu da vontade de ter Fernando Pessoa na rua, no café, onde ele possa fumar e beber. Tê-lo connosco, agora, enquanto ainda, em ruas e cafés, se possa fumar e beber. Este é um livro de vícios: pessoal e íntimo. Este é um livro de textos de e sobre vícios e dependências: drogas, álcool, ópio, tabaco e morfina. O livro está organizado como se fosse um romance, uma viagem ao fim da noite. Divide-se em cinco capítulos: Inocência, Êxtase, Confissões, Abandono e Decadência.

Esta edição, versão singela de papel e texto, sem imagens, apenas com os textos em que o poeta se funde fisicamente com as suas drogas, que são, aliás, em Pessoa, muito mais vícios da alma do que vícios do corpo.

“Ainda mais que os vícios do corpo, os vícios da alma pedem secretismo. E o segredo leva-nos ao romance”, explica Manuel S. Fonseca, e é isso que une os cinco capítulos em que o livro se divide: “O que une tudo isto, livro, ópio e Pessoa, morfina, inocência e decadência é ser tudo isto, como ele mesmo disse, escadas para o sonho”.»

 

 

 

Ópio, morfina, absinto, álcoois e muitos fumos numa antologia de textos de Pessoa e heterónimos, como Bernardo Soares, Álvaro de Campos, Ricardo Reis. Todos os textos são sobre drogas e reflectem a experiência e os delírios do poeta. É um livro forte e provocatório, mas plenamente justificado pelos próprios textos de Fernando Pessoa. Aqui fica um excerto da introdução: Dêem-me de beber, que não tenho sede! Pouco nos interessa saber se Fernando Pessoa se embebedava, se afundava no ópio ou se espetou alguma agulha morfinómana no delicado braço. Neste livro o que conta é a forma como os vícios, as drogas americanas que entontecem, lhe iluminam a escrita.